1. Catástrofe em Moçambique: Francisco George é responsável pela gestão de donativos  SIC Notícias
  2. Como ajudar as vítimas do ciclone em Moçambique  Renascença
  3. "Sou responsável pela gestão." Francisco George apela a donativos para Moçambique  TSF Online
  4. 400 mil pessoas desalojadas no centro de Moçambique, diz Cruz Vermelha  Jornal de Notícias
  5. Ver cobertura completa no Google Notícias
O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, esteve na Edição da Noite desta terça-feira para explicar a angariação de donativos da Cruz Vermelha que se destinam a ajudar as vítimas de Moçambique.O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, esteve na Edição da Noite desta terça-feira para explicar a angariação de donativos da Cruz Vermelha que se destinam a ajudar as vítimas de Moçambique.

SIC Notícias | Catástrofe em Moçambique: Francisco George é responsável pela gestão de donativos

A Cáritas e a Cruz Vermelha já enviaram donativos e estão no terreno a apoiar as milhares de pessoas atingidas pela catástrofe humanitária.A Cáritas e a Cruz Vermelha já enviaram donativos e estão no terreno a apoiar as milhares de pessoas atingidas pela catástrofe humanitária.

Como ajudar as vítimas do ciclone em Moçambique - Renascença

Ex-diretor-geral da Saúde recorda que é "preciso voltar a reunir as famílias" e, para isso, a Cruz Vermelha já enviou uma especialista.Ex-diretor-geral da Saúde recorda que é "preciso voltar a reunir as famílias" e, para isso, a Cruz Vermelha já enviou uma especialista.

″Sou responsável pela gestão.″ Francisco George apela a donativos para Moçambique

A Cruz Vermelha Internacional indicou esta terça-feira que pelo menos 400 mil pessoas estão desalojadas em consequência do ciclone Idai, que devastou o centro de Moçambique, considerando que se trata da "pior crise humanitária no país".A Cruz Vermelha Internacional indicou esta terça-feira que pelo menos 400 mil pessoas estão desalojadas em consequência do ciclone Idai, que devastou o centro de Moçambique, considerando que se trata da "pior crise humanitária no país".

400 mil pessoas desalojadas no centro de Moçambique, diz Cruz Vermelha