O impacto da greve dos motoristas  SIC Notícias

A paralisação dos motoristas faz-se sentir um pouco por todo o país. As preocupações manifestam-se sobretudo no turismo, um dos setores chave para a ...

Ver cobertura completa no Google Notícias
Preocupações manifestam-se sobretudo no turismo. Preocupações manifestam-se sobretudo no turismo. 

SIC Notícias | O impacto da greve dos motoristas 

Militares da GNR continuam a escoltar camiões junto à sede da Companhia Logística de Combustíveis, em Aveiras de Cima. No segundo dia de greve, o porta-voz dos motoristas de matérias perigosas garante que requisição civil anunciada na terça-feira pelo Governo não retira força à paralisaçãoMilitares da GNR continuam a escoltar camiões junto à sede da Companhia Logística de Combustíveis, em Aveiras de Cima. No segundo dia de greve, o porta-voz dos motoristas de matérias perigosas garante que requisição civil anunciada na terça-feira pelo Governo não retira força à paralisação

Expresso | As imagens do segundo dia da greve dos motoristas

Militares da GNR continuam a escoltar camiões junto à sede da Companhia Logística de Combustíveis, em Aveiras de Cima. No segundo dia de greve, o porta-voz dos motoristas de matérias perigosas garante que requisição civil anunciada na terça-feira pelo Governo não retira força à paralisaçãoMilitares da GNR continuam a escoltar camiões junto à sede da Companhia Logística de Combustíveis, em Aveiras de Cima. No segundo dia de greve, o porta-voz dos motoristas de matérias perigosas garante que requisição civil anunciada na terça-feira pelo Governo não retira força à paralisação

Expresso | As imagens do segundo dia da greve dos motoristas

O piquete de greve demarca-se dos incidentes que ocorreram esta manhãO piquete de greve demarca-se dos incidentes que ocorreram esta manhã

Expresso | Vários camiões com pneus furados em Vilar Formoso

O porta-voz do SMMP sublinha: “É crime trabalhar mais de 200 horas de trabalho anual”O porta-voz do SMMP sublinha: “É crime trabalhar mais de 200 horas de trabalho anual”

Expresso | “Não há obrigatoriedade de trabalhar mais de oito horas”